sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Uma jornada pela floresta significa aceitar a outra metade do dia - a noite


             O que me separa do interior da floresta é uma camada de tecido impermeável e uma fina tela transparente. A visão da floresta é intrigante e enigmática. Quem são seus habitantes? Tanta vida, tantos enigmas. Todos esses seres têm as mesmas necessidades básicas, todos! Mas, aparentemente, apenas eu tenho o luxo de questionar tudo isso. Para a maioria dos seres da floresta só resta a difícil tarefa de se manter vivo.

            Esses momentos vivenciados no interior da floresta são únicos e extremamente marcantes. A percepção e nosso conceito de o que é vida e do viver estão em conflito. É nessa parte do dia que predadores e presas cumprem sua difícil missão – permanecerem vivos.

            Imerso nesse velho novo mundo todos os sentidos são convocados e um misto de angústia e euforia se misturam numa espécie de abraço sufocante que aos poucos se transforma em leveza e harmonia. Ao nascer do sol, nos primeiros raios saindo no horizonte, você não é mais o mesmo.

            Fui à floresta atrás de respostas, mas encontrei sentido.



                                                                                                                                      Cadu

(...) dias em plena solitude

4 comentários:

  1. Belas palavras, Cadu. Sempre me impressiono com seus textos e vídeos, pois são de uma peculiaridade sem tamanho. A forma com que enxerga a natureza e suas sutilezas é no mínimo formidável. Consegue transmitir aos leitores/espectadores um sentimento, por vezes inexplicável, que é bater de frente com o próprio "eu" e sua vida no meio da mata. Obrigado por compartilhar conosco tudo isso! Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Olá Cadu, a floresta é um campo infindável de experiências e vivências. A verdadeira sabedoria consiste em saber extrair valiosas experiências de situações aparentemente simples.

    Um forte abraço!

    Paulo

    ResponderExcluir