sexta-feira, 20 de março de 2015

Sobre a relevância do que fazemos




            Hoje, 4 de janeiro de 2015. Uma quarta-feira fria com céu mesclado de nuvens cinzas num fundo azul. A natureza segue seu curso e é um belo dia para apreciá-la em uma atividade ao ar livre. Porém, é um dia de semana e as pessoas estão ocupadas indo para o seus trabalhos. Todos têm um ar preocupado e tudo isso mais parece uma cena do seriado “ The Walking Dead”, no qual apenas corpos perambulam pelas ruas da cidade.


            Entretanto, as crianças parecem felizes por aqui. Mas aparentemente até isso pode ser um problema. No início desta manhã, dentro do trem, soubemos que houve uma “fatalidade” em uma das principais linhas que ligam nossa cidade à capital. Descobrimos, logo depois, que mãe e filho foram atropelados por uma das composições de trem. A suspeita é de um suicídio com assassinato, parece que essas “fatalidades” são bem comuns por aqui, só aqui?

             Nos filmes de “Harry Potter”, existem os Dementadores: seres que sugam toda essência de vida de quem se depare com eles, mas felizmente, estes seres não existem, nê? Mas, o que pode levar alguém a uma situação de tamanho desespero? Eu não tenho essa resposta, mas seres que sugam a essência de vida não foram. Porém, quando eu vejo pessoas perambulando nas ruas como se fossem zumbis levando a vida como se estivessem cara a cara com um dos dementadores, me pergunto, o que é de fato relevante? Qual o tamanho de nossas necessidades? Infelizmente eu também não tenho essas respostas, mas quero fazer um convite, e talvez você possa me ajudar a responder essas questões.

             Apenas por um dia em sua vida, troque sua TV e todo seu conteúdo programático por uma fogueira ou lareira. Troque sua casa confortável, por um camping selvagem. Apenas por um dia prepare sua comida em um fogo de acampamento. Apenas por um dia conte histórias, dance e cante à luz de uma fogueira com seus amigos e parentes. Apenas por um dia acorde de madrugada e veja o céu estelado e o nascer do sol.

            Depois, volte para casa e veja se tudo isso foi relevante. Hoje eu queria que “mãe e filho” estivessem à luz de uma fogueira em um acampamento selvagem...


Nenhum comentário:

Postar um comentário