segunda-feira, 30 de março de 2015

O significado do Bushcraft para mim







            Em linhas gerais Bushcraft significa “arte do mato” ou “arte mateira”

Arte = técnica e habilidade.


             Técnica está associada aos procedimentos para atingir um resultado e habilidade é saber fazer algo com segurança. No caso do bushcraft é tudo isso praticado em um ambiente ao ar livre. Além do estudo e a prática das habilidades e uso de equipamentos, quando praticamos bushcraft tentamos compreender a filosofia de vida dos povos que lidam ou lidaram com o ambiente natural, povos tais como: caiçaras, caboclos, tropeiros, indígenas, viajantes, pioneiros, colonos, pescadores, ribeirinhos, tribos nômades e por aí vai. É a história do mundo à sua disposição para novas descobertas e aprendizagem sob um mesmo contexto. Esse contexto nada mais é do que a história da humanidade até os dias de hoje se desenvolvendo junto a natureza em uma forma de construção cultural.


            Como explica Paul Von Horn, em seu brilhante artigo “The importance of traditional Woodcraft skills”, Bushcraft é a ponte entre educação aventura e a educação ambiental. A primeira se preocupa com os praticantes (saúde, exercícios, competição) ex; escaladas, canoagem etc. E a segunda, a educação ambiental busca conectar as pessoas com o meio ambiente “natural”, e educá-las sobre questões ambientais. Mas ao contrário da educação ambiental as melhorias para o indivíduo geralmente não são enfatizadas ou simplesmente não ficam evidentes. Em uma atividade de bushcraft teremos as duas coisas porque aprendemos através da natureza, ao invés de apenas nela ou sobre ela.

             Mas Bushcraft antes de tudo é a atividade praticada ao ar livre, em ambiente natural que reduz a ansiedade e a depressão, diminui o estresse, aumenta a imunidade, o vigor físico. Se praticada em família ou entre amigos, os benefícios são ainda maiores, todos são aceitos. Por ser um corpo de conhecimento universal, não tem raça, religião ou qualquer outro tipo de segregação ou discriminação.

            Apesar de todos os benefícios individuais e coletivos que o bushcraft traz, ele é um legado cultural da humanidade que corre o risco de ser extinto - extinção cultural. Se isso ocorrer, desaparecerão não somente os conhecimentos e técnicas específicas como também os estímulos, emoções e qualquer outro sentimento associado. Vou fazer uma analogia simples; se uma ave desaparece, nunca mais escutaremos seu canto e todos os inimagináveis estímulos e sensações que eles poderiam produzir e influenciar em nossas vidas desaparecerão também. Mas qual a importância disso? O maior risco que corremos quando isso acontece (e acontece!) é que tornamos o mundo simplista demais, não apenas monótono, mas homogêneo. Imagine uma música composta apenas pelas sete notas musicais, sem acordes ou sem diferentes andamentos. Ainda assim teríamos música, mas não teríamos as mesmas sensações e impressões.

            Esse é o meu bushcraft, qual é o seu?


Baita abraço!

Nenhum comentário:

Postar um comentário