quarta-feira, 18 de março de 2015

Como fazer um bastão de caminhada


Meu bastão temporário e alguns objetos recolhidos durante o percurso. Eles foram esquecido por caminhantes desatentos.



            O hábito de caminhar com auxílio de um bastão sobrevive há milênios entre populações humanas. Sua utilidade como ferramenta em campo é inquestionável até os dias de hoje. Os bastões clássicos são os de madeira, um pedaço de galho que você encontrar por aí. Começando pelo óbvio vamos para a escolha do bastão, não tem segredo, o ideal é que ao ver um pedaço de galho que lhe pareça ser um bom bastão, você pegue e ande um pouco com ele para ver se as medidas são adequadas para você.


            Alguns aspectos importantes na hora de escolher seu bastão são: peso e resistência. Você deve procurar um galho que seja resistente o suficiente para que você possa se apoiar, mas que não seja muito pesado. Bastões muito pesados podem ser um problema depois de alguns quilômetros de caminhada. Conhecer as principais características de algumas árvores também ajuda. Algumas espécies de árvores apresentam madeiras mais resistentes do que outras, por exemplo pinho é leve, mas é fácil de quebrar, e madeiras muito duras, além de serem muito pesadas, podem ser difíceis de serem trabalhadas (personalizadas), caso você tenha esse desejo. Lembre-se, algumas madeiras podem soltar, com o tempo, algum tipo de resina. Por isso, tenha certeza de que você não e alérgico. Eu por exemplo, sou bastante sensível a muitas espécies de aroeira (anacardiaceae). Logo, para minha segurança, evito todas! Tudo que eu não quero é uma dermatite de contato no meio de uma caminhada. Fique atento, se durante o uso do seu bastão você sentir qualquer tipo de desconforto na pele, principalmente na região que estiver em contato com o bastão, não hesite em substituí-lo.

             A vantagem de fazer o próprio bastão é que trata-se de um objeto completamente personalizado, o que serve para um não servirá para outro. Cada um tem uma altura, peso, passada, desvios na coluna, calo na mão e unha encravada diferente. Consequentemente, a relação com um bastão de caminhada escolhido por você é totalmente diferente daquela que você pode ter com um bastão comprado. Essa relação envolve desde a seleção da madeira, corte correto, local da escolha, personalização, entre outras tantas coisas. Se você pensar na terra, luz, água, minerais, tudo que constitui a madeira, as mudanças das estações do ano pelas quais a árvore passou e as transformações que a planta sofreu, eu tenho certeza que seu bastão tomará um significado único para você.

            Eu tenho um bastão de uma árvore de cedro-do-Líbano - Cedrus libani (Pinaceae) que tem aproximadamente 300 anos. Eu coletei depois de um temporal, em um local muito especial e de grande significado para mim. Sim, depois de uma tempestade é um ótimo momento para procurar um bastão adequado, não porque tenha alguma propriedade mágica (será?), mas porque terá muitos galhos caídos no chão, sem brocas e outros insetos fazendo casa ou utilizando de alguma maneira. Tudo que não queremos é desalojar algum ser vivo por aí, não é? Sempre colete madeira “morta”, madeira verde é muito flexível e requer tratamentos demorados, e principalmente, está viva! Tente deixá-lo com uma altura 30 cm menor que você ou na altura do seu queixo. Regra geral, evite madeiras com muitos nós, podem ser frágeis demais.

Detalhe da empunhadura
Detalhe da empunhadura
             Depois de escolhido o bastão, não é preciso quase nada para que ele seja um bastão de caminhada. Tecnicamente é só sair andando por aí para que ele se torne um "bastão de caminhada" propriamente dito. Apesar disso, eu tenho algumas sugestões que podem ser úteis, são "modificações" que eu faço para preservar o bastão e também torná-lo mais confortável e digamos, personalizado.

             A primeira sugestão é fazer uma empunhadura para o bastão que pode ser por exemplo um sisal ou corta de sua preferência (pode servir como cabo solteiro extra) enrolado na altura de onde você costuma pegar. O importante é que essa "empunhadura" se torne uma zona de maior atrito e evite que sua mão fique escorregando quando estiver suada. Ela vai ajudar principalmente quando você estiver andando em declives. Observe que caminhadas em locais muito frios o bastão deve ser segurado em uma altura que seja mais baixa que a altura do cotovelo para não comprometer a circulação sanguínea e ficar com os dedos dolorosamente gelados.

             A segunda sugestão é que eu sempre dou uma polida e uma encerada no bastão com cera de abelha, mas você pode utilizar outros produtos que julgue mais adequado. Mas lembre-se esse bastão está temporariamente sobre seu domínio, depois você deve devolvê-lo para o ambiente natural. Por isso, evite colocar verniz ou qualquer outro tipo de produto que possa representar um problema na hora de reincorporar o bastão na floresta. Ele ainda será muito importante na floresta.O polimento evita que o bastão solte "ferpas" ao mesmo tempo que remove pontas que podem machucar com o uso contínuo em caminhadas. O enceramento, por sua vez, impermeabiliza o bastão prolongando sua vida útil, além de deixá-lo com um aspecto mais "acabado". Esse aspecto mais "acabado" pode ser especificamente importante quando você estiver transportando seu bastão em lugares públicos com bastante gente; as pessoas até podem ficar esperando um rebanho de ovelhas após sua passagem mas é melhor do que ficarem com medo de um louco com um pedaço de galho na mão.

Meus bastões de caminhada
            Por fim, você pode fazer todo tipo de personalização que sua criatividade deixar. Pode pirografar pegadas de animais, desenho de tipos de folhas de plantas de interesse medicinais para auxiliá-lo na identificação, escalas, medidas de sua passada, esculturas de animais, enfim tudo. Se você optar por selar a madeira, faça-o depois de colocar gravuras ou pirogravuras.

             Bom, dá para notar que a escolha de bastão é bem fácil e não requer instruções especiais, se está bom para você é suficiente. Se você não quer um bastão de madeira, pode escolher outros materiais, por exemplo, cano de pvc (sobras de alguma construção) em que você pode ter um compartimento "secreto" para colocar itens que precisam estar com você o tempo todo.

             Penso que a ideia central desse texto, seja o de desenvolver habilidades, estimular a criatividade na confecção de utensílios, ferramentas e equipamentos de campo. Todos feitos com recursos de baixo impacto ambiental, reaproveitados ou reciclados. Essa prática tem alto poder de transformação de hábitos e podem gerar bons sentimentos. Mas o importante é você ter equipamentos coerentes com sua visão de mundo.

“A canoa de Birchbark 'e feita inteiramente de materiais encontrados na floresta casca de bétula, cedros, abetos vermelhos , cinzas , raízes e resinas de pinho. Quando ela estiver danificada, ela pode ser reparada facilmente das mesmas coisas a mão. Quando ela serviu seu propósito, ela retorna para a terra, parte de um ciclo interminável...”

Bill Mason - Path of the Paddle


             Assim como a canoa de Birchbark, seu bastão de caminhada servirá para vários propósitos e, quando não tiver mais serventia para você, ele retorna para a terra como parte de um ciclo interminável… Mas isso, se nós permitirmos. Quantos equipamentos tem essas características?


Até a próxima!








Nenhum comentário:

Postar um comentário